insônia

Insônia: sintomas, causas e tratamentos

Na medicina, a insônia faz parte da grande família dos distúrbios do sono, que inclui narcolepsia (início súbito e imprevisível da sonolência), hipersonia (necessidade excessiva de dormir) e distúrbios do sono.

Entenda melhor o que é, quais os sintomas e tratamento desse problema!

O que é a insônia?

A insônia é caracterizada pela dificuldade em dormir o suficiente, a ponto de interferir nas atividades da vida diária (sonolência, falta de atenção, irritabilidade, etc.). Algumas pessoas dormem naturalmente algumas horas por noite sem repercussões prejudiciais: portanto, não são insones.

Tipos de insônia

Existem 2 tipos de insônia:

  • a insônia transitória: os sintomas estão relacionados a uma situação específica, muitas vezes facilmente identificável (um período estressante no trabalho, divórcio, etc.) – esse tipo de insônia ainda pode levar várias semanas;
  • a insônia crônica: dificuldade para dormir pelo menos 3 noites por semana, durante pelo menos 1 mês.

Observe que a linha entre esses 2 tipos de insônia nem sempre é clara.

Causas

A insônia é um sintoma, não uma doença em si, muito parecida com a febre. Antes de pensar em tratá-la, devemos, portanto, encontrar a (s) causa (s). Alguns dos fatores físicos e ambientais que têm uma grande influência no sono incluem a luz ambiente e o ruído, bem como o conteúdo e o horário das refeições.

Os fatores psicológicos, como estresse ou ansiedade, também desempenham um papel importante.  Além dos fatores relacionados ao estilo de vida e ao meio ambiente, todos os tipos de problemas de saúde agudos e crônicos podem interromper o sono:

  • a síndrome das pernas inquietas, que se caracteriza pelo desejo de mover as pernas, especialmente durante os períodos de relaxamento ou inatividade;
  • apneia do sono, que geralmente ocorre em pessoas com sobrepeso ou que roncam pesadamente; causa pausas respiratórias de alguns segundos ou mais várias vezes durante a noite, o que pode ou não causar despertares conscientes;
  • dor crônica causada por artrite ou câncer, por exemplo;
  • a depressão;
  • dificuldade em respirar (na insuficiência cardíaca ou doença pulmonar), necessidade de urinar à noite, doença do refluxo gastroesofágico, hipertireoidismo, doença de Parkinson ou doença de Alzheimer.

Quando um problema de saúde física ou mental torna difícil dormir bem, em primeiro lugar, é preciso obter o tratamento correto.

Possíveis consequências

As consequências da insônia são rapidamente sentidas e incluem: fadiga, sonolência, irritabilidade, perda de memória e dificuldade de concentração durante o dia. A insônia tende a acentuar os sintomas de certos problemas de saúde: enxaquecas, dores, problemas digestivos, etc.

Embora ter algumas noites sem dormir ocasionalmente não seja preocupante, uma falta crônica de sono pode interromper as atividades diárias e causar:

  • dificuldades educacionais, principalmente entre os alunos do ensino fundamental;
  • problemas no trabalho, como absenteísmo;
  • acidentes de trabalho e acidentes rodoviários!

Ter uma boa noite de sono é importante não apenas para se sentir bem e cheio de energia, mas também para desfrutar de uma boa saúde a longo prazo. Durante o sono, vários processos fisiológicos ocorrem: os tecidos do fígado e os músculos se regeneram, o sistema imunológico reconstrói sua força, a memória é consolidada, etc.

Além disso, a secreção de hormônios de crescimento é maior durante o sono. O cérebro também aproveita essa pausa para eliminar seus “resíduos” graças aos antioxidantes. No entanto, ainda não se sabe muito sobre como o sono desencadeia esses mecanismos restauradores.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em Foz do Iguaçu!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp